segunda-feira, 20 de junho de 2022

Colômbia cai nas garras do foro de São Paulo. O Brasil será o próximo? Assassinarão Bolsonaro?

O CLUBE DOS ONIPOTENTES: narcotráfico e políticos da Ibero-América

RAY CUNHA 

BRASÍLIA, 20 DE JUNHO DE 2022 – O objetivo do Foro de São Paulo de criar uma União das Repúblicas Socialistas Soviéticas tropical na América do Sul avança cada vez mais. Eles começaram com Cuba, o PT (Partido dos Trabalhadores), as Farcs (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e outros narcotraficantes, já contam com Venezuela, Argentina e Bolívia, e, a partir de ontem, com a Colômbia. Os comunistas são como gafanhotos, vão comendo tudo, deixam a terra arrasada, como em Cuba e na Venezuela. Sua política é a da corrupção total. 

Ontem, o guerrilheiro do M-19 (Movimento 19 de Abril), Gustavo Petro, se tornou o primeiro presidente comunista da Colômbia, pelas urnas. Logo que soube que fora eleito garantiu que soltará todos os presos do país. As Farcs estão comemorando. 

O Brasil não é a cereja do bolo da União Soviética tropical; é o próprio bolo! Com os recursos naturais que têm se os comunistas chegarem a tomar o poder garantirão para si uma bacanal de décadas. Lula Rousseff e o PT conseguiram controlar a burra uma década e meia. O plano é fustigar o presidente Jair Bolsonaro até ele reagir e aí darem o golpe, impedindo-o de disputar a reeleição ou de assumir. Ou assassinarem-no, como já tentaram. Mas falta combinar com as Forças Armadas. 

Mas até outubro esse cenário poderá mudar radicalmente, se os Estados Unidos conseguirem extraditar da Espanha, Hugo Carvajal, conhecido como El Pollo, O Frango, general, ex-chefe da Inteligência venezuelana. Preso na Espanha, ele seria extraditado para os Estados Unidos, acusado de ser um dos chefões do narcotráfico venezuelano e de financiar Lula, mas, até agora, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos conseguiu mantê-lo na Europa. 

Frango, general do exército venezuelano, chefiou a Inteligência de Hugo Chávez, entre 2004 e 2011, quando um tribunal de Nova York o acusou de coordenar, em 2006, o embarque de 5,6 toneladas de cocaína da Venezuela para o México e de lá para os Estados Unidos. Segundo o FBI, a polícia federal americana, Frango fazia parte do Cartel de los Soles, juntamente com o próprio Chávez, que morreu em 2013. 

Ele sabe muito. A jornalista espanhola Cristina Segui investiga o caso a fundo. Em setembro do ano passado, Frango foi preso na Espanha, após três anos escondido, desde abril de 2019, quando foi preso a pedido dos Estados Unidos, que queria extraditá-lo, mas no dia seguinte Carvajal fugiu. Fugiu, simplesmente. 

Para permanecer na Espanha, Carvajal confessou que o narcotráfico financiava políticos espanhóis e gente importantíssima na Europa. Está conseguindo, assim, permanecer na Espanha. Mas entregou também Lula, Cristina Kirchner (Argentina), Evo Morales (Bolívia), o paraguaio Fernando Lugo e o equatoriano Rafael Correa. Ele disse que tem como provar suas acusações, mas que só fará isso se os espanhóis não o entregarem para os americanos. 

Além de prisão perpétua, os americanos proporcionarão a Franco vomitórios eficientíssimos. Assim, há, no Brasil, gente que não quer nem ouvir falar na extradição de Frango, ou cachalote, pois os documentos que ele mantém zelosamente escondidos podem também levar cefalópodes de volta à jaula. 

Meu romance-reportagem O CLUBE DOS ONIPOTENTES percorre as entranhas das relações do narcotráfico com os comunistas ibero-americanos, especialmente os que criaram, juntamente com Fidel Castro, o Foro de São Paulo. Leia-o com urgência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário