quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

O eleitor fluminense está de olho no deputado Luiz Lima. Prefeitura do Rio foi um teste

Lima mostrou na campanha que conhece o Rio profundo

RAY CUNHA

BRASÍLIA, 25 DE FEVEREIRO DE 2021 – O deputado federal (PSL/RJ) Luiz Lima vem crescendo na Câmara, mostrando potencial para voos maiores, e começa a despontar como o candidato conservador, apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro, ao governo do Rio de Janeiro, no próximo ano. Mas terá que mostrar ao eleitorado do Rio que tem o perfil certo para pôr o estado nos trilhos. 

Profundo conhecedor tanto da Cidade Maravilhosa quanto do estado, Luiz Lima mostra que já tem uma meta traçada para cuidar das principais questões do estado, temas tratados durante a campanha para a prefeitura do Rio: tolerância zero com a bandidagem, ajuste fiscal e a principal indústria do estado: o turismo, além do tratamento e distribuição de água, produção de energia elétrica e transporte público. 

Eleito deputado federal pelo PSL, em 2018, foi votado nos 92 municípios do estado, o que significa que é conhecido em todos eles, depreendendo-se que é conhecido porque já realizou algum trabalho que beneficiou o estado, e o eleitorado, como um todo. 

Eleito deputado com apenas 115.119 votos, ano passado, ao disputar a prefeitura do Rio, ficou em quinto lugar, com 180.336 votos. A prefeitura do Rio foi um teste. 

Luiz Eduardo Carneiro Silva de Souza Lima é carioca de 1977, ex-atleta olímpico de natação, graduado em Educação Física. Prata nos Jogos Pan-Americanos de 1995, na Argentina, ouro no Pan de Winnipeg, no Canadá, em 1999, e campeão brasileiro em 2006 e sul-americano em 2008, iniciou sua vida política em 2016, quando, após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, aceitou o convite para ser secretário Nacional de Esportes de Alto Rendimento. 

Em 27 de março de 2019 teve seu primeiro projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional, o qual altera a Lei Maria da Penha, garantindo às vítimas de violência doméstica a decretação imediata de divórcio ou dissolução de união estável. 

Outro projeto de lei seu, o PL 511/2019, que limita o poder de juízes e desembargadores nos plantões judiciais, limitando-os a análise de medidas urgentes, como prisões em flagrante, decretação de prisão preventiva ou temporária, busca e apreensão, mandados de segurança e habeas corpus, já foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara.

Este ano, deverá ter protagonismo em duas questões caras ao estado do Rio de Janeiro, especialmente à Cidade Maravilhosa: a reforma fiscal e a legalização dos cassinos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário